Quem é Raimundo Lúlio?

A figura de Raimundo Lúlio está para a cultura catalã como Miguel de Cervantes está para a espanhola, Dante Alighieri para a italiana, William Shakespeare para a inglesa, Molière para a francesa, Goethe para a alemã e Luís de Camões para a portuguesa. 

Lúlio, maiorquino de nascimento, viveu entre 1232 e 1316 e foi um escritor prolífico e multifacetado, que se expressou em latim, em catalão e em árabe. O cerne do contributo de Lúlio é o que ele chamava a Arte: um sistema geral de interpretação da realidade visível e invisível, que se serve de técnicas semimecânicas, de notação simbólica e de diagramas combinatórios. A Arte é o fundamento da apologética e fornece uma base metodológica única para todos os campos do saber do século XIII: da teologia às ciências naturais e humanas.

O seu perfil intelectual é complexo e atípico: como filósofo cristão desenvolveu criativamente materiais neoplatónicos e aristotélicos; como místico, foi considerado o pioneiro da grande tradição ibérica; como novelista, foi um dos primeiros a propor temas contemporâneos; como apologista do cristianismo, foi promotor de escolas de missionários e concebeu um novo método para a conversão. Lúlio também foi um dos primeiros escritores a usar a língua popular, no seu caso o catalão, para tratar temas reservados à língua culta, o latim, nomeadamente a teologia, a filosofia e a ciência.